PF apura que ataque em MS teria sido ''prévia''

A hipótese do ministro da Justiça, Tarso Genro, de que o ataque ao Presídio Federal de Campo Grande, ocorrido no domingo, tenha sido uma prévia de um resgate maior de presidiários do local, é defendida pela Polícia Federal (PF) e pelos agentes penitenciários. Segundo o corregedor da penitenciária, juiz federal Odilon de Oliveira, a PF identificou, ontem, "alguns suspeitos" de envolvimento no ataque. O superintendente da PF, Luiz Adalberto Philippsen, não confirma nem desmente esta informação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.