PF confirma dossiê, mas nega elo com eleição

Em nota sobre quebra de sigilo de tucanos em agências do Fisco, a Polícia Federal diz que as provas colhidas indicam que o jornalista Amaury Ribeiro Jr. "utilizou os serviços de levantamento de informações de empresas e de pessoas físicas desde o final de 2008". Também confirma que "os dados violados foram utilizados para a confecção de relatórios".

, O Estado de S.Paulo

21 Outubro 2010 | 00h00

Mas, segundo a nota divulgada ontem, "não foi comprovada sua utilização em campanha política". De acordo com a PF, a quebra de sigilo fiscal - fato que motivou a instauração de inquérito - já está esclarecido. "Em 120 dias de investigação, foram realizadas diversas diligências e ouvidas 37 pessoas em mais de 50 depoimentos, que resultaram em 7 indiciamentos", diz.

A PF informa que, depois de concluídas as últimas diligências, o inquérito será encaminhado à 12ª Vara Federal do Distrito Federal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.