PF cumpre 113 mandados de apreensão contra pedofilia

Operação é feita em 18 Estados e mobiliza agentes de Israel, Republica Tcheca, Japão, Senegal e Portugal

Agência Estado,

03 de setembro de 2008 | 09h11

A Polícia Federal, em ação conjunta com a CPI da Pedofilia, faz na manhã desta quarta-feira, 3, operação de busca e apreensão em residências e empresas envolvidas em denúncias de pedofilia. São 113 mandados em 18 Estados, sendo 50 apenas no Estado de São Paulo e 22 na capital. A operação, que está sendo chamada de Carrossel 2, mobiliza 650 agentes da PF e autoridades policiais de cinco países: Israel, República Tcheca, Japão, Senegal e Portugal.  Veja também:Todas as notícias sobre a Operação Carrossel Em Santa Catarina, foram cumpridos oito mandados de busca e apreensão. Em SC, três foram cumpridos em Florianópolis, um em Garopaba, três em Jaraguá do Sul e um em Blumenau, e inquiridos os cidadãos responsáveis pelos imóveis. Em Imbituba houve uma oitiva.  Cada equipe contará com um perito criminal especialista em informática para que a análise inicial do computador ocorra ainda no local da busca. Os policiais promoverão a apreensão de computadores, discos rígidos, pen-drives, cartões de memória, CDs, DVDs e todo material que possa estar, direta ou indiretamente, associado à prática de pedofilia.  Investigações De acordo com a PF, as investigações descobriram, em março de 2008, um programa capaz de localizar fotografias e vídeos com conteúdo pedófilo, os quais estavam sendo disponibilizados para "download" a partir de uma rede de troca de arquivos, acessível pela internet. Com emprego de palavras-chave específicas, foi possível identificar, em apenas 12 dias de pesquisa, milhares de arquivos com imagens de pedofilia, disponibilizados por usuários dessa rede. Com uma perícia, foi possível identificar os Ips (protocolos de internet) de tais usuários, o que possibilitou descobrir os terminais telefônicos ADSL nos quais estavam conectados os computadores que disponibilizavam os arquivos. De posse das informações referentes aos terminais telefônicos, em especial os respectivos locais de instalação, as autoridades policiais requereram mandados de busca. Resultados  As investigações da Operação Carrossel já identificaram aproximadamente 200 pedófilos em mais de 70 países. Somente na Holanda foram identificados cerca de 100 pedófilos. Em Israel e na Grécia os investigadores mapearam, respectivamente, 30 e 22 pessoas envolvidas com pornografia infantil.  A Polícia Federal e a Interpol têm mantido contato com as autoridades policiais desses países no sentido de auxiliar na prisão dos criminosos. As máquinas e demais provas que estão sendo recolhidas pela PF serão periciadas e, confirmadas as denúncias, os responsáveis serão presos e responderão criminalmente pela exploração sexual de crianças e adolescentes. Operação Carrossel A Operação Carrossel foi desencadeada pela Polícia Federal no dia 20 de dezembro de 2007. Agentes da PF cumpriram 102 mandados de busca e apreensão em 14 Estados e no Distrito Federal. Na ação, foram recolhidos computadores, CDs, fotos, vídeos e outras mídias em endereços residenciais, escritórios e empresas de suspeitos de crimes sexuais contra crianças. Foram detectados pela PF cerca de 3.800 acessos a material pornográfico infantil disponibilizado na internet. Três pessoas foram presas em flagrante, duas em São Paulo e uma em Fortaleza (CE).  Segundo afirmou o delegado Adailton Martins, chefe da Divisão de Combate a Crimes Cibernéticos da PF e encarregado da operação, a comunidade flagrada acessava cenas de todo tipo de ato libidinoso. Foram apreendidas fotos e vídeos com crianças de até 2 anos de idade. "Alguns pareciam bebês, é realmente um crime nefasto." Para chegar à rede de pedófilos, a PF considerou um total mínimo de 5 acessos a endereços de pornografia infantil, feitos pelos suspeitos. A comunidade desbaratada incluía usuários suspeitos de pedofilia de 78 países, cujos governos foram notificados pela Polícia Federal, por intermédio da Interpol. A PF já havia realizado quatro grandes operações de combate à pedofilia pela Internet, mas a Carrossel, além de ser a maior, foi a primeira deflagrada por iniciativa brasileira.  Texto alterado às 11h47 para acréscimo de informações. (Com informações da Agência Senado)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.