PF deflagra operação contra comércio ilegal de diamantes

Dez pessoas são procuradas em SP e MG; quadrilha venderia pedras para países da Europa e Oriente Médio

12 Agosto 2009 | 12h03

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira, 12, a Operação Quilate, com o objetivo de cumprir, nos Estados de São Paulo e Minas Gerais, 31 mandados de busca e apreensão e dez de prisão preventiva, expedidos pela 2ª Vara Federal de Franca, interior paulista.

 

De acordo com a PF, a ação visa a desarticular uma organização criminosa internacional de comércio de diamantes e gemas, brutas e lapidadas, sem procedência legal, que também realiza operações de câmbio não autorizadas.

 

A investigação apurou a atuação de forte grupo, composto por brasileiros e estrangeiros, concentrado no município de Franca e com ramificações em Frutal e Uberlândia, ambas e Minas, São José do Rio Preto, interior paulista, e na capital. As pedras seriam vendidas para compradores estrangeiros da Europa, Oriente Médio e América Central.

 

A representação da Interpol no Brasil foi comunicada para providências relacionadas ao cumprimento no exterior de ordem de prisão de estrangeiro que seria integrante do grupo.

 

Ainda segundo a PF, os crimes praticados pelo grupo são usurpação de bens minerais pertencentes à União, receptação, formação de quadrilha, contrabando, crime contra o sistema financeiro nacional. As penas somadas podem chegar a 30 anos de prisão.

Mais conteúdo sobre:
diamantescomérciocâmbio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.