PF desativa pistas de pouso clandestinas no Amapá

Acredita-se que essas áreas poderiam ser utilizadas para tráfico, pirataria e garimpo clandestino

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

09 de março de 2010 | 07h59

   

Após escavação, explosivos foram colocados no solo para destruir as pistas clandestinas

 

SÃO PAULO - A Polícia Federal desativou três pistas de pouso clandestinas no Parque Nacional Montanha do Tumucumaque, no Amapá, durante a Operação Torre de Controle, que teve início no dia 21 de fevereiro, com término na última sexta-feira, 5.

 

Após meses de investigação, foi descoberto que havia três pistas clandestinas no Parque do Tumucumaque, possivelmente utilizadas para prática de ilícitos na área ambiental (biopirataria), tráfico de drogas e/ou garimpo clandestino.

 

As pistas identificadas são conhecidas como pista Molocopote, Anotae e Cruzado. A primeira apresentando indicativos de uso e as duas últimas com possibilidade de reativação em curto período de tempo.

 

A equipe composta de 14 policiais federais e seis bombeiros se deslocou para a região, realizando sobrevoo para mapear as três pistas, levou consigo 1700 Kg de explosivos para inutilização das mesmas. A operação contou com apoio da Força Aérea Brasileira.

 

Uma vez localizadas as pistas, a denotação ocorreu após a escavação, colocação dos explosivos e compactação do solo para obter o máximo aproveitamento das dinamites. Todo o trabalho foi realizado em 13 dias, concluído com sucesso pela equipe de policiais.

Tudo o que sabemos sobre:
Polícia FederalAmapápistas de pouso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.