PF detém novamente o presidente da beija-flor

A Polícia Federal prendeu o bicheiro Aniz Abrahão David, o Anísio, com outras 14 pessoas, entre elas o agente da PF do Rio Luciano Delgado Botelho. Anísio é presidente de honra da escola de samba Beija-Flor e acusado de comandar uma quadrilha que lavava, em Natal (RN), dinheiro arrecadado com a exploração ilegal de caça-níqueis. Botelho, segundo o superintendente da PF no Rio, Valdinho Caetano, teria "participação ativa" na quadrilha, seria sócio de Anísio, mentor intelectual da lavagem de dinheiro e teria pontos de exploração de caça-níqueis em Nilópolis. A Operação 1357 derivou da Operação Escambo, da PF-RN, que investigava operações de câmbio irregular. Para a operação, a 2ª Vara Criminal Federal de Natal expediu, a pedido da PF, 16 mandados de prisão. Dois foram cumpridos em Natal, 13 no Rio e o último não foi finalizado porque o suspeito morreu na semana passada. Anísio, o agente da PF Luciano Delgado Botelho, e outras duas pessoas que tiveram mandados de prisão preventiva decretados foram levados ontem à tarde para Natal. Os outros nove presos que tiveram a prisão temporária decretada ficarão num presídio do Rio. Os detidos responderão por lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, exploração de caça-níqueis e câmbio irregular. No ano passado, Anísio foi preso duas vezes durante a Operação Hurricane, que também identificou uma quadrilha envolvida com caça-níqueis. Foi solto em dezembro, por causa de uma liminar concedida pelo STF e participou do desfile da Beija-Flor, campeã do carnaval. Em 1993 foi preso, acusado de fazer parte da cúpula do jogo do bicho.

Talita Figueiredo, O Estadao de S.Paulo

30 Outubro 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.