PF deve pedir mais 60 dias para apurar acidente da Gol

A Superintendência da Polícia Federal do Mato Grosso vai pedir nesta quarta-feira, 25, prazo de mais 60 dias para entregar o relatório do acidente do Boeing da Gol com o jato Legacy, ocorrido em 29 de setembro, que deixou 154 mortos. O delegado Renato Sayão, responsável pelo inquérito, disse só depender dos laudos do Instituto Nacional de Criminalística (INC) para concluir seu trabalho. No dia 22 de fevereiro, Sayão pediu outros 60 dias para concluir as investigações sobre o acidente. Um dia antes, a Associação Internacional de Pilotos de Linhas Aéreas (Alpa, na sigla em inglês) divulgou boletim de alerta a seus membros para "dificuldades de operação no espaço aéreo do Brasil", enfatizando a questão do inglês dos controladores de vôo, que considera deficiente. Segundo o documento, a colisão do Legacy com o Boeing da Gol em 29 de setembro, que matou 154 pessoas, "pôs em evidência várias questões associadas às operações no espaço aéreo que podem ter implicações significativas para a segurança do vôo". Cronologia do acidente da Gol 29 de setembro de 2006: Boeing 737-800 da Gol e jatinho Legacy, fabricado pela Embraer, que seguia para os Estados Unidos, colidem na região da Serra do Cachimbo (PA), provocando a morte de todos os 154 pessoas, entre passageiros e tripulantes. 30 de setembro: Pilotos do jato Legacy, Joseph Lepore e Jan Paladino, falam como testemunhas à Polícia Civil. 1º de outubro: Joseph Lepore e Jan Paladino dizem à polícia que foram autorizados a voar a 37 mil pés, altitude que era usada pelo Boeing da Gol. 2 de outubro: Juiz de Mato Grosso manda apreender seus passaportes. 4 de outubro: Polícia Federal instaura inquérito paralelo para investigar as causas do acidente. 5 de outubro: Nos EUA, Lobby pela liberação dos pilotos do Legacy aciona a secretária de Estado, Condoleezza Rice. 6 de outubro: Pilotos norte-americanos se hospedam em hotel do Rio de Janeiro. 29 de outubro: Diante das suspeitas de que erros dos controladores teriam causado o acidente de setembro, os profissionais do Cindacta-1, em Brasília, iniciam operação padrão, quando há centenas de atrasos e cancelamentos no País. 6 de novembro: Advogados dos pilotos pedem juízo provisório 17 de novembro: Tribunal Regional Federal nega pedido de liberação de passaportes dos pilotos. 24 de novembro: Federação Internacional de Associações de Controladores de Tráfego Aéreo engrossa pressão por liberação imediata. 5 de dezembro: Justiça libera passaportes de Joseph Lepore e Jan Paladino. 8 de dezembro: Polícia Federal indicia pilotos por expor culposamente a perigo aeronave, agravado pelo fato de ter ocorrido morte. Após prestarem depoimento em São Paulo, os dois embarcam para os EUA 9 de dezembro: Após passarem a noite em Miami, pilotos aterrissam em Long Island. São recebidos como heróis por parentes, políticos, advogados e representantes de associações. 21 de fevereiro de 2007: A Associação Internacional de Pilotos de Linhas Aéreas (Alpa, na sigla em inglês) divulgou boletim de alerta a seus membros para "dificuldades de operação no espaço aéreo do Brasil", enfatizando a questão do inglês dos controladores de vôo, que considera deficiente. Segundo o documento, a colisão do Legacy com o Boeing da Gol em 29 de setembro, que matou 154 pessoas, "pôs em evidência várias questões associadas às operações no espaço aéreo que podem ter implicações significativas para a segurança do vôo". 22 de fevereiro: Polícia Federal pede prazo de mais 60 dias para concluir as investigações sobre o acidente.

Agencia Estado,

25 Abril 2007 | 09h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.