PF discute roubo de cargas em Manaus

Até a próxima quinta-feira, 27 superintendentes da Polícia Federal de todo o País estarão reunidos no Tropical Hotel, em Manaus, para discutir medidas para a repressão ao roubo de cargas e valores. O evento, criado pelo Departamento de Polícia Federal, conta com o apoio da Confederação Nacional do Transporte (CNT) e com as participações da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), da Federação Nacional das Empresas de Seguros Privados e de Capitalização (Fenaseg), do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal.Na programação, estarão em debate também a pirataria marítima, o roubo de cargas rodoviárias e o roubo de cargas na visão dos caminhoneiros, com participação de vários representantes do setor de transporte do Brasil. Outro ponto de interesse será a avaliação dos resultados do programa "Caminhoneiros do Bem", serviço de denúncias lançado em outubro através de parceria entre a CNT e a Polícia Federal.Segundo a CNT, cerca de duas mil denúncias já foram encaminhadas ao programa, alimentando o banco de dados da Polícia Federal e servindo até mesmo de ponto de partida para as investigações. Alguns casos, de acordo com os resultados apresentados pelo programa, foram solucionados a partir de denúncias anônimas por parte de caminhoneiros.No caso especifico do Amazonas, o tema mais abrangente será o da pirataria fluvial, na qual as embarcações são atacadas no meio dos rios em locais ermos. Isso tem provocado prejuízo às empresas proprietárias de barcos e até já deixou o saldo negativo de algumas mortes. De acordo com informações da PF, somente em uma embarcação foram roubados 130 mil litros de óleo diesel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.