PF do Amapá avisa que mais prisões podem ser feitas

No começo da noite desta terça o superintendente da Polícia Federal no Amapá, delegado Aldair da Rocha, informou que há possibilidade de novos mandados de prisão serem expedidos nos próximos dias, decorrência da "Operação Pororoca". Até agora 32 mandados foram expedidos, seis pessoas estão presas e uma foragida. Vinte e cinco foram liberadas na tarde desta terça-feira.O Ministério Público Federal acatou solicitação da Polícia Federal e decretou a prisão preventiva de quatro pessoas acusadas de participação em licitações fraudulentas, desvio de verbas federais, tráfico de influência e fraude no Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal - SIAFI.Estão presos também o prefeito reeleito de Macapá João Henrique Pimentel (PT) e Rosemiro Rocha (PL), prefeito de Santana, o segundo maior município do Estado. O empresário paraense José Ivanilson dos Santos teve prisão temporária decretada dia 4. Como não foi encontrado, passou a ser considerado foragido.A "Operação Pororoca" desmontou um forte esquema de licitações fraudulentas, desvio de verbas federais, alteração de dados na Receita Federal em Macapá, tráfico de influência e fraude no SIAFI, envolvendo políticos, empresários e funcionários públicos dos governos federal, estadual e municipal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.