PF entra em estado de greve em Alagoas

Os policiais federais de Alagoas decidiram entrar em estado de greve a partir desta sexta-feira, em solidariedade à luta pelo vencimento básico de nível superior, iniciada esta semana pelos agentes da superintendência da PF do Distrito Federal. A decisão foi tomada em assembléia geral extraordinária, realizada no auditório da superintendência da PF, em Maceió. Segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Federais no Estado de Alagoas (Sinpofal), Jorge Venerando, a categoria deu um prazo ao governo até o dia 10 de dezembro para que atende esta reivindicação, caso contrário a partir desta data irá paralisar as atividades por três dias e depois, se não houver avanço nas negociações, fará uma greve geral tempo indeterminado. "O que nós estamos querendo não é aumento salarial; é o correto cumprimento da Lei 9266/96, que reconhece como de nível superior os cargos de agente, escrivão e papiloscopista", argumenta Venerando, acrescentando que para ter acesso à PF é exigido diploma de curso superior, para qualquer desses cargos. "Portanto, queremos vencimentos básicos de nível superior". Segundo o sindicalista, as diárias pagas aos policiais federais já obedecem a esse critério. Se a lei foi respeitada, garanteVenerando, o vencimento básico do agente em início de carreira passaria de R$ 250,44 para R$ 465,54. Enquanto o saláriobásico do agente em final de carreira passaria de R$ 367,27 para R$ 554.38. Esse direito estaria garantido por lei desde 1996.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.