PF faz arrastão contra fraudes na importação de carros de luxo

Operação Titanic tenta desmontar quadrilha comandada por empresários no Espírito Santo e atinge 3 Estados

Marcelo Auller, da Agência Estado,

07 de abril de 2008 | 06h59

A Polícia Federal desencadeou na manhã desta segunda-feira, 7, a partir de uma investigação no Espírito Santo, a Operação Titanic. Os agentes pretendem desmontar uma quadrilha que, segundo a PF, seria comandada pelo empresário Pedro Scopel e seu filho Adriano Mariano Scopel. Os dois detêm 50% da Sociedade de Propósitos Específico que é arrendatária do porto de Vitória. Eles são donos ainda da Tag importadora de veículos, através da qual trazem para o Brasil carros e motos de luxo.   O esquema combatido pela polícia é relacionado as fraudes nestas importações. Segundo a própria assessoria da PF, a operação Titanic vai cumprir 30 mandados de prisão, busca e apreensão em três estados, inclusive em São Paulo. As primeiras informações dão conta que um dos mandados de prisão do Espírito Santo é contra um auditor da Receita Federal envolvido nas fraudes feitas na importações dos veículos e motos.   Pedro e Adriano ganharam notoriedade em 2006 ao levarem para o Salão de Automóvel em São Paulo seis carros italianos da marca Lamborghini, que foram apreendidos por estarem em situação irregular. Eles também foram acusados de ter adquirido a lancha que era de propriedade do narcotraficante Juan Carlos Ramires Abadía.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.