PF faz maior operação da história contra pedofilia

Foram cumpridos 102 mandados de busca em 14 Estados; 3 pessoas foram presas e se desbaratou uma comunidade com usuários de 78 países

Vannildo Mendes, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

21 de dezembro de 2007 | 00h00

Na maior operação contra a pedofilia feita no Brasil - a primeira deflagrada por iniciativa brasileira -, batizada de Carrossel, a Polícia Federal cumpriu ontem 102 mandados de busca e apreensão em 14 Estados e no DF. Foram recolhidos computadores, CDs, fotos, vídeos e outras mídias em endereços residenciais, em escritórios e em empresas de suspeitos de crimes sexuais contra crianças. Foram detectados pela PF cerca de 3.800 acessos a material pornográfico infantil na internet. Três pessoas foram presas em flagrante, duas em São Paulo e uma em Fortaleza. Segundo o delegado Adailton Martins, chefe da Divisão de Combate a Crimes Cibernéticos da PF e encarregado da operação, a comunidade flagrada acessava cenas de todo tipo de ato libidinoso. Foram apreendidas fotos e vídeos com crianças de até 2 anos de idade. "Alguns pareciam bebês, é realmente um crime nefasto."Todo o material apreendido será agora analisado e, com base nele, serão identificados e processados os pedófilos, que podem pegar de 2 anos a 4 anos de prisão. Os produtores das mídias e responsáveis pela difusão pegarão penas maiores. Para chegar à rede, a PF considerou no mínimo cinco acessos a endereços de pornografia infantil feitos pelos suspeitos. A comunidade desbaratada inclui ainda suspeitos de pedofilia em 78 países, cujos governos foram notificados pela Polícia Federal, por intermédio da Interpol. Segundo Martins, nas investigações, iniciadas em agosto, os policiais mapearam os endereços das máquinas utilizadas para compartilhamento do material e identificaram todos os usuários.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.