Maior quadrilha de drogas sintéticas do Brasil é alvo da PF

Grupo atua em Goiás, mas tem colaboradores em vários Estados; equipe cumpre 145 mandados judiciais

O Estado de S. Paulo

27 Agosto 2015 | 11h21

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira, 27, a Operação Quinto Elemento, para desarticular uma quadrilha especializada no tráfico de drogas sintéticas. De acordo com a PF, o grupo atua em Goiás, mas tem colaboradores em vários Estados.

Segundo nota da PF, a quadrilha usava empresas regularizadas para adquirir produtos químicos usados para sintetizar os mais variados tipos de droga - desde anfetaminas até cocaína.

“A grande quantidade de produtos químicos adquiridos chamou a atenção dos investigadores, que constataram um esquema econômico organizado para o tráfico, com a participação de farmácias, laboratórios e vendedores, que se utilizavam de veículos de luxo para comercializar a mercadoria ilegal”, disse a PF em nota.

Uma equipe de cerca de 400 policiais federais cumprem 145 mandados judiciais em Goiás, São Paulo, Paraná, Tocantins, Bahia, Minas Gerais e Distrito Federal. Entre os mandados, 30 são de prisão temporária, oito de prisão preventiva, 40 de condução coercitiva, 55 de busca e apreensão e 12 de sequestros de bens imóveis - incluindo um prédio residencial de 20 apartamentos .

Durante as investigações, foram desmontados oito laboratórios. Segundo a PF, em apenas um dos laboratórios, foram apreendidos cerca de 630 mil comprimidos conhecidos como ecstasy do Paraguai, também usados como rebite, prontos para o consumo. O volume é superior à quantidade apreendida pela corporação durante todo o ano de 2015.

Em outro laboratório, foram encontrados aproximadamente 800 mil comprimidos. Em 8 meses, segundo apontam as investigações, um dos laboratórios gerenciados pela organização criminosa movimentou cerca de R$ 240 milhões./AGÊNCIA BRASIL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.