PF faz operação contra organização criminosa que atua em presídios paulistas

A investigação concentra-se no braço da organização que atuava na fronteira do Brasil com o Paraguai, com o objetivo de contrabandear armas e drogas

Fausto Macedo, O Estado de S.Paulo

29 Maio 2012 | 11h44

São Paulo, 29 - A Polícia Federal deflagrou nesta terça feira a Operação Leviatã para desarticular célula de organização criminosa que atua em presídios paulistas.

A PF cumpriu16 mandados de prisão e 1 foragido da Justiça Estadual foi recapturado. Nove suspeitos estão foragidos.

A 4.ª Vara Criminal da Justiça Federal de São Paulo expediu 25 mandados de prisão temporária, com prazo inicial de 30 dias, e 7 mandados de busca e apreensão, na Capital e no interior de São Paulo e também no interior do Mato Grosso do Sul.

A pedido da PF, a Justiça decretou o bloqueio de 128 contas bancárias por terem sido identificadas como de uso da facção criminosa e o sequestro de 1 imóvel.

A investigação concentra-se no braço da organização que atuava na fronteira do Brasil com o Paraguai, com o objetivo de contrabandear armas e drogas para distribuição em São Paulo e outros Estados.

Segundo a PF, há evidências de que esse grupo recebia ordens diretas da cúpula da organização criminosa.

O inquérito aponta ainda que o grupo contava com a ação de vários intermediários e uma rede de colaboradores, que realizavam o transporte terrestre das drogas em caminhões ou veículos menores, coordenava e intermediava os carregamentos, além de realizar sua distribuição local.

Nesta manhã, além das prisões, foram apreendidos 22 quilos de maconha, 8 quilos de cocaína, 1 pistola calibre 9 milímetros, munição de calibre restrito e produtos químicos utilizados para o refino de cocaína, nas cidades de Dourados e Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul.

Ao longo da investigação, iniciada em outubro de 2010, foram realizadas 29 ações policiais anteriores, que resultaram na prisão em flagrante de outras 48 pessoas e na apreensão de 270 quilos de cocaína, 2,03 toneladas de maconha, R$ 130 mil , 30 veículos, 29 fuzis, 13 pistolas, 3 granadas, 1 rifle e 3.001 projéteis para armas de calibre restrito.

Parte dessas ações contou com a cooperação estratégica das Polícias Estaduais de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Segundo a PF, os investigados responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de tráfico internacional de drogas e associação para o tráfico, com penas de até 25 anos de prisão.

Mais conteúdo sobre:
drogastráfico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.