PF fecha 50 empresas de segurança clandestinas no RS

Empresas foram autuadas durante operação no Estado e têm 10 dias para recorrer da ação

Solange Spigliatti, Central de Notícias

04 de dezembro de 2009 | 11h02

Cinquenta empresas de vigilância foram autuadas durante a semana como clandestinas e tiveram o auto de encerramento de atividades lavrado pela Polícia Federal (PF) durante a Operação Varredura, deflagrada no Rio Grande do Sul.

 

A ação foi realizada com base em investigações e denúncias e contou com a participação de cem agentes federais, abrangendo a região da Superintendência e das 13 delegacias do interior gaúcho.

Em quatro dias, foram vistoriadas 35 agências bancárias, 70 empresas de vigilância - sendo que 50 foram autuadas como clandestinas e tiveram o auto de encerramento de atividades lavrado - e 30 casas noturnas.

 

As empresas autuadas tem dez dias para recorrer. No Estado, existem 35 mil vigilantes atuando na função, 117 companhias de segurança privada e dez escolas de formação de vigilantes, informou a PF.

Tudo o que sabemos sobre:
segurançaPFRS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.