PF indicia 50 pessoas por tráfico internacional de drogas

Ao todo, polícia desmantelou seis quadrilhas de traficantes; em um dos grupos haveria líderes do PCC

Solange Spigliatti, Central de Notícias

04 Agosto 2009 | 11h41

A Polícia Federal de Mato Grosso concluiu o principal inquérito resultante da Operação Fronteira Branca, que combateu o tráfico internacional de entorpecentes, com a prisão de 50 pessoas, entre eles um policial civil, em seis Estados. Segundo a PF, durante as investigações, iniciadas em 2006, foram identificadas seis quadrilhas formadas por traficantes brasileiros em associação com fornecedores bolivianos. Em um dos grupos haveria líderes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

 

Os grupos foram identificados a partir de informações passadas por um fornecedor de cocaína boliviano. Todos os 50 detidos foram indiciados pelo crime de tráfico internacional de entorpecente, com penas que variam de 5 a 15 anos. Alguns deles ainda vão responder por outros crimes, pois, na análise da atuação de cada pessoa, são encontrados outros ilícitos penais.

 

Deflagrada em junho deste ano, a Operação Fronteira Branca ainda tem de cumprir 22 mandados de prisão, contra pessoas que estão foragidas. Foram apreendidos durante a operação de cerca de 913 kg de cocaína, US$ 446 mil e R$ 30 mil. Ao todo, 78 pessoas foram presas em flagrante por estarem ligadas diretamente aos esquemas investigados.

 

Estão presas 38 pessoas em Mato Grosso, duas em Rondônia, duas em Pernambuco, uma na Bahia, cinco em Minas Gerais e duas em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.