PF investiga clonagem de telefones no interior de SP

Golpes que levaram a uma verdadeira fábrica de centrais telefônicas clandestinas, usadas por criminosos, foram descobertos pela polícia civil e PF do Vale do Paraíba. Além de serem encaminhadas à polícia, as denúncias dos consumidores, que tiveram suas contas telefônicas elevadas em até R$ 19 mil, também foram parar no Procon, órgão de defesa do consumidor.Nos últimos dois meses, o Procon de Jacareí (SP) registrou 102 reclamações de usuários da Telefônica que receberam suas contas com altos valores.A freqüência das reclamações levou a polícia a iniciar uma investigação sobre os casos e descobriu que a maioria das ligações era feita a cobrar, do Rio de Janeiro e de outras cidades cariocas.Por este motivo, o delegado da Polícia Federal do Vale do Paraíba, Marcos Vinícios Deneno, encaminhou as contas e as reclamações para a Polícia Federal do Rio de Janeiro. "Encaminhamos o problema ao superintendente Marcelo Itagiba, para que os telefones sejam rastreados pela Polícia Federal do Rio", afirmou o delegado. Na PF do Rio de Janeiro, o chefe do Departamento de Comunicação Social, Sílvio Pinho, informou que as informações estão sendo investigadas pelo Serviço de Inteligência da PF. "Os detalhes destas investigações são mantidos em sigilo".Segundo o diretor do Procon de Jacareí, José Rubens de Souza, os valores das contas chegaram a R$ 120 mil. Ele explicou que o golpe começa com uma falsa ligação dos estelionatários para os usuários da Telefônica. "Os golpistas afirmam pertencer à Telefônica ou a uma empresa prestadora de serviço e pegam os números dos documentos do titular da linha. Com estes números, eles solicitam à Telefônica a transferência de chamadas e depois, ligam novamente para a pessoa, para que ela disque um número, no teclado do telefone, a fim de cadastrar a senha". Souza contou que as pessoas não desconfiam, já que acreditam estar sendo interpeladas pela empresa. O aposentado Antonio Mira, de 70 anos, foi uma das vítimas. Ele recebeu a conta no valor de R$ 19 mil e levou um susto. "A gente só usa o telefone quando precisa e gasta, no máximo, R$ 30 por mês". Ele relatou que caiu no golpe e, a partir daí, começou a receber telefones estranhos. "O telefone não parava de tocar e quando veio a conta, eram quase 30 folhas de ligações para o Rio de Janeiro". O caso foi levado à polícia e ao Procon, que tratou de cancelar a transferência de chamadas. As vítimas não terão que pagar as contas, já que o Procon pediu o cancelamento de todas. As 102 vítimas levaram o Procon de Jacareí a firmar com a empresa Telefônica um ajustamento de conduta. A partir da próxima segunda-feira, dia 5 de agosto, os usuários de Jacareí que pedirem o serviço de transferência de chamadas terão que realizar a solicitação a partir do próprio aparelho de telefone. "Segundo o acordo fechado, a Telefônica só aceitará pedidos de transferência de chamadas feitos da própria linha que solicita o serviço".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.