PF investiga estupro de grávidas dentro de hospital no RS

Servidor do Hospital Universitário de Santa Maria teria se passado por médico para realizar falsos exames ginecológicos em gestantes

Chico Guevara , Especial para O Estado

22 de junho de 2015 | 19h54

PORTO ALEGRE - A Polícia Federal (PF) abriu investigação para apurar três denúncias de abuso sexual que teriam ocorrido dentro do Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM), no Rio Grande do Sul. O suspeito é um funcionário concursado do laboratório da instituição. Ele teria se passado por médico e realizado falsos exames ginecológicos em três gestantes. 

A denúncia partiu das próprias vítimas, que descobriram ter sido enganadas pelo falso profissional no final da semana passada. Elas questionaram a necessidade dos exames ao posto de enfermagem do setor de obstetrícia, que negou qualquer procedimento do tipo agendado.  

O suspeito foi reconhecido pelas vítimas. Trata-se de um farmacêutico de 32 anos, cuja identidade não foi revelada. Ele chegou a ser detido no sábado, mas liberado por não ter havido flagrante. A Polícia Civil registrou o caso como estupro consumado, mas repassou à PF, que está investigando por se tratar de uma instituição federal. 

Procurado, o HUSM informou que já afastou o servidor e instaurou procedimento interno para determinar uma possível punição, que pode ser uma advertência ou até a exoneração. As vítimas permanecem com o nomes sob sigilo. Duas delas continuam internadas e recebendo, conforme o gerente administrativo do hospital, João Batista de Vasconcellos, atenção psicológica. Uma terceira gestante deu à luz e foi liberada. 

Tudo o que sabemos sobre:
Rio Grande do Sulestupro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.