PF investiga negócios de irmão de Bin Laden em MG

O Centro de Inteligência da Polícia Federal, em Brasília, está analisando documentos do saudita Khalil Mohammed bin Laden, um dos 53 irmãos do terrorista Osama bin Laden, que tem negócios em Minas e esteve em Belo Horizonte em 26 de setembro, segundo o site da EPTV. Ele é cônsul honorário do Brasil em Jedá, na Arábia Saudita, e casado com a brasileira Izabel Cristina Castanheira Bayma. A documentação chegou em outubro ao Aeroporto de Confins, na região metropolitana da capital mineira, mas a PF mantinha o assunto em segredo. Ela foi redigida em árabe, inglês e português e despertou suspeitas por causa do sobrenome do terrorista acusado dos atentados de 11 de setembro de 2001, nos EUA. A correspondência foi interceptada pela PF, embora estivesse endereçada a uma brasileira, a psicóloga Tânia Pedrosa, que mora em Belo Horizonte e não quis se pronunciar sobre o caso.Segundo a PF, ao ser informado do fato, Khalil bin Laden, acompanhado da mulher, se apresentou para dar explicações. Apesar do título honorário que lhe foi conferido pelo governo brasileiro em 1988, o empresário saudita não lançou mão dele e impôs apenas uma condição para se explicar: falar exclusivamente sobre o conteúdo da correspondência.Khalil bin Laden disse que todo o conteúdo do malote estava relacionado a propostas comerciais de sua empresa, relatório de seminários, contratos, além de cheques que deveriam ser assinados por ele para pagamento de compromissos de suas empresas. A PF tirou uma cópia de tudo e devolveu os originais ao empresário.

Agencia Estado,

03 de dezembro de 2002 | 11h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.