PF investiga seqüestro de Celso Daniel

O ministro da Justiça, Aloysio Nunes Ferreira, determinou à Polícia Federal (PF) que colabore nas investigações do seqüestro do prefeito de Santo André, Celso Daniel. O ministro deve discutir o caso ainda neste sábado com o governador Geraldo Alckmin (PSDB), em São Paulo.Segundo a assessoria de Nunes Ferreira, o ministro determinou que a PF ceda o número necessário de policiais para as operações, inclusive os ligados à área de inteligência. Apesar de as investigações de seqüestros serem de competência das polícias estaduais, Nunes Ferreira resolveu ajudar no caso por dois motivos principais: o governo federal está disposto a auxiliar no combate a essa modalidade de crime, cuja ocorrência está aumentando, e há suspeitas de que o seqüestro de Celso Daniel tenha motivação política.Conforme a assessoria do ministro, Nunes Ferreira achou estranho o fato de os seqüestradores terem levado apenas o prefeito petista e terem liberado o empresário Sérgio Gomes Silva, que dirigia o carro de Celso Daniel.A colaboração da Polícia Federal no caso foi sugerida também pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Por acreditar que o seqüestro do prefeito de Santo André tenha tido motivação política, o presidente nacional da OAB, Rubens Approbato, conversou com o ministro da Justiça e sugeriu que a PF auxiliasse a polícia paulista nas investigações. Outro que conversou com o ministro neste sábado pela manhã foi o deputado José Genoíno (PT-SP). Ele esteve na Câmara Municipal de Santo André, onde diversos petistas se reuniram para acompanhar o noticiário e o desenvolvimento das investigações, e contou aos jornalistas que o ministro lhe disse, em telefone, que o diretor da Polícia Federal, Agílio Monteiro Filho, suspendeu as férias e estava retornando a Brasilia para acompanhar o caso. Ainda segundo Genoíno, Nunes Ferreira orientou a PF a atuar em conjunto com a polícia estadual.

Agencia Estado,

19 de janeiro de 2002 | 11h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.