PF investigará só o filho da ministra

Em ação coordenada com o Planalto, o ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, determinou ontem que a Polícia Federal abra inquérito para investigar denúncias de que Israel Guerra, filho da ministra da Casa Civil, Erenice Guerra, estaria operando esquema lobby em troca de propina para beneficiar empresas privadas em contratos com o governo. A ministra foi poupada.

Carol Pires / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

15 de setembro de 2010 | 00h00

Segundo Barreto, a investigação será focada na atuação de Israel, de advogados e empresas envolvidas no caso, uma vez que, protegida pelo foro privilegiado, Erenice Guerra só pode ser investigada com autorização do Supremo Tribunal Federal (STF). "O fato narra a atuação de pessoas, não narra diretamente a atuação da ministra em nenhum fato envolvendo esses aspectos", disse Barreto.

Segundo o ministro, ainda que Erenice seja a única pessoa envolvida no caso com poderes de influência no governo, é preciso investigar se de fato houve prática ilícita nas contratações que teriam sido intermediadas por Israel antes de atribuir culpa a ela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.