PF pede novo prazo para inquérito do caso Erenice

Com pedido de mais prazo para concluir o trabalho, a Polícia Federal enviou à Justiça o inquérito que apura tráfico de influência de familiares da ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra, ex-braço direito de Dilma Rousseff. Na segunda fase, quando o inquérito retornar, a PF deve indiciar Israel e Saulo Guerra, filhos de Erenice, acusados de usar empresas de fachada para cobrar propina de empresários que tinham contratos com BNDES, Correios e outras estatais. Na terça feira, portaria da Presidência adiou por 20 dias a conclusão dos trabalhos da comissão do governo que investiga o caso Erenice.

, O Estado de S.Paulo

18 Novembro 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.