PF pode investigar assassinato de Toninho do PT

A assessoria do ministro da Justiça, José Gregori, disse hoje que a Polícia Federal poderá ser acionada para investigar o assassinato do prefeito Antonio da Costa Santos, o Toninho do PT, morto há dez dias com um tiro em Campinas. O ministro solicitou um relatório do caso, que lhe foi entregue anteontem pelo diretor da PF, Agídio Monteiro. De acordo com a assessoria, o relatório, de cinco páginas, traz informações sobre o crime. A assessoria informou ainda que Gregori está acompanhando as investigações da polícia de Campinas. No próximo dia 27, o ministro terá um audiência com uma comissão campineira, liderada pela prefeita Izalene Tiene. Ela divulgou que irá pedir verbas para a implantação na cidade do Plano Municipal de Segurança. A intervenção da Polícia Federal também deverá ser discutida no encontro, conforme acredita o ministro. A assessoria informou que, se Izalene solicitar que a PF entre no caso, Gregori irá atendê-la. A PF somente pode atuar em investigações estaduais quando há solicitação do governo federal e autorização do Estado. Os assessores acrescentaram que Gregori já teve duas conversas com o governador Geraldo Alckmin (PSDB) sobre esse assunto, mas a entrada da PF no caso ainda não havia sido discutida. O Ministério preferiu não falar em intervenção, mas em ajuda nas investigações. Alegou que a Polícia Federal dispõe de equipes especializadas para auxiliar na apuração de crimes de difícil solução, com treinamento específico. A Secretaria Nacional de Segurança Pública, subordinada ao Ministério, possui o Fundo Nacional de Segurança Pública, que destina verbas a projetos nesse segmento. No ano passado, foram R$ 250 milhões. Este ano estão previstos R$ 403 milhões. O repasse é feito para os governos estaduais. Os assessores explicaram que não há como fazer repasse direto ao município, mas que o pedido de Izalene e o projeto do Plano Municipal deverão ser encaminhados para apreciação da Secretarial Estadual de Segurança de São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.