PF põe-se à disposição da Polícia Civil de SP

A Polícia Federal (PF) está, oficialmente, à disposição da Polícia Civil de São Paulo para participar, a partir desta terça-feira, das investigações do assassinato do ex-prefeito de Campinas, no interior de São Paulo, Antônio da Costa Santos (o Toninho), informou, nesta segunda à tarde, na capital paulista, o ministro da Justiça, José Gregori.Gregori admitiu que a PF tem realizado investigações paralelas. O ministro tem sido abastecido de informações sobre o caso por relatórios encaminhados a ele pela PF em Campinas."Mas, a partir de hoje, a atuação da Polícia Federal é oficial, desde que seus serviços sejam requisitados pela Polícia Civil", afirmou o ministro.Gregori reuniu-se, por pouco mais de uma hora, a partir das 15h30 desta segunda, com a prefeita de Campinas, Izalene Tiene (PT), que presidiu recursos ao ministro para acelerar a adoção do Plano Municipal de Segurança, um documento de 46 páginas entregue nesta segunda a ele."Já está formada uma comissão com representantes do governo estadual e do governo municipal para viabilizar o plano e, a partir de hoje, o governo federal também passa integrar a comissão", afirmou o ministro.Gregori antecipou que parte dos R$ 15 milhões disponíveis nos cofres do Plano Nacional de Segurança será repassada para Campinas. "A tragédia que aconteceu em Campinas mostrou que a cidade precisa de colaboração nacional", concluiu ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.