PF prende 12 pessoas em operação contra sonegação fiscal

A Polícia Federal (PF) já prendeu doze pessoas na Operação Esfinge, que tem como objetivo desmantelar uma organização criminosa especializada em sonegação fiscal, com sede no Espírito Santo. Políticos, servidores públicos, empresários e advogados integram a quadrilha, que possui ramificações nos estados do Rio, São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco, Bahia e Mato Grosso do Sul.Entre os detidos, está o suplente do senador do Espírito Santo Magno Malta, do Partido Liberal (PL), o empresário Francisco José Gonçalves Pereira, que foi preso em Brasília. O advogado Beline Salles Ramos, a esposa e o filho também foram detidos. Beline já havia sido preso, no ano passado, acusado de participar de um esquema sonegação fiscal na cervejaria Schincariol. Em São João do Meriti, na Baixada Fluminense, foi preso um despachante aduaneiro de 38 anos. A PF cumpriu mandado de busca e apreensão em sua residência, onde foram apreendidos diversos documentos e um computador.Em São Paulo, um dos locais onde havia uma ramificação da quadrilha, a PF cumprirá quatro mandados de prisão. Segundo a assessoria da PF, uma pessoa já foi presa, mas seu nome ainda não foi divulgado. A organização criminosa é composta por mais de 300 empresas de diferentes segmentos, tais como combustíveis, importação e exportação, mineração, agropecuária e construção civil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.