PF prende 18 pessoas por tráfico de drogas em 4 Estados

Mandados foram cumpridos em Pernambuco, Bahia, Ceará e Mato Grosso do Sul

Solange Spigliatti, do estadao.com.br e Tiago Décimo, de O Estado de S. Paulo,

09 Outubro 2008 | 09h44

Dezoito pessoas foram presas na manhã desta quinta-feira, 09, durante a Operação Teia, da Polícia Federal, deflagrada em Pernambuco, Bahia, Ceará e Mato Grosso do Sul. Segundo a PF, 15 dos presos estavam na Bahia. Todos os presos são acusados de envolvimento com o tráfico de drogas e homicídios.   Ao todo, os 65 agente da PF cumprem 18 mandados de prisão e nove mandados de busca e apreensão expedidos pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Petrolina, em Pernambuco. As ações ocorreram simultaneamente nas cidades de Petrolina, em Pernambuco, Juazeiro, na Bahia, Fortaleza, no Ceará, e Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul.   "Seis dos envolvidos já estavam presos", explica o delegado da PF de Juazeiro, Alexandre Lucena. "Eles traziam a cocaína da Bolívia, ela entrava no Brasil por Ponta Porã e era enviada para cá, para ser distribuída na região, em Salvador e em Fortaleza", diz Lucena. "Ano passado, só do que conseguimos monitorar, foram 40 quilos de cocaína."   O delegado acrescenta que, para camuflar o tráfico, a quadrilha usava uma transportadora, de propriedade do homem preso em Ponta Porã - que não teve a identidade revelada. "Agora, estamos rastreando o dinheiro utilizado por eles", diz o delegado.   As investigações começaram em 2007 e tinham como finalidade desarticular uma quadrilha envolvida com tráfico de drogas e homicídios. As drogas vinham da Bolívia e entravam no País por Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul. De lá, era distribuída para a Bahia, Pernambuco e Ceará.   Todos os envolvidos, segundo a PF, foram interrogados pelas autoridades policiais, e em seguida, conduzidos por policiais federais às respectivas cadeias públicas, onde permanecerão à disposição da Justiça.   Texto ampliado às 12h39 para acréscimo de informações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.