Divulgação
Divulgação

PF prende 29 policiais acusados de corrupção e contrabando em 6 Estados

Ao todo, 69 pessoas foram presas na Operação Láparos; toneladas de materiais foram apreendidos

Solange Spigliatti, estadão.com.br

17 Novembro 2011 | 08h32

SÃO PAULO - Pelo menos 69 pessoas, entre elas 29 policiais, foram presas nesta quinta-feira, 17, acusadas de participar de uma organização criminosa especializada em contrabando, principalmente de cigarros, além de corrupção policial, que agia na fronteira do País.

A operação Láparos, da Polícia Federal, foi deflagrada com o objetivo de desarticular essa quadrilha cumprindo 150 mandados de busca e apreensão e de 108 ordens de prisão preventiva, das quais 43 contra policiais. Os mandados estão sendo cumpridos em 38 cidades do Paraná, quatro em São Paulo, três no Mato Grosso do Sul, três em Minas Gerais, um em Rondônia e um no Mato Grosso.

Segundo a PF, entre os integrantes do grupo estão 13 policiais civis e 29 militares do Paraná e um da Polícia Rodoviária Federal, que receberiam vantagens econômicas para informar sobre as ações da PF contra o contrabando, garantindo ainda a livre circulação de veículos usados pela quadrilha para distribuir cigarros e agrotóxicos contrabandeados.

Todas as ordens foram expedidas pela Justiça Federal em Guaira e em Umuarama. Segundo a PF, ao longo de 14 meses de investigações foram presas em flagrante 202 pessoas e apreendidos mais de três milhões de pacotes de cigarros contrabandeados do Paraguai; 6,5 toneladas de agrotóxicos de mesma origem; 109 caminhões; 76 automóveis e 13 embarcações.

 

Texto atualizado às 19h

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.