PF prende 31 acusados de tráfico de drogas em 4 Estados

A Polícia Federal prendeu nesta terça-feira 31 pessoas acusadas de tráfico internacional de drogas, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro. Treze presos foram detidos no Amazonas, mas houve prisões também em Minas Gerais, Roraima e Santa Catarina. Segundo o delegado responsável pela operação, Humberto Ramos Rodrigues, todos os presos serão transferidos para Manaus. A operação foi batizada de Nasciente inspirando na língua dos países onde a cocaína "nascia" ou era produzida pela quadrilha, Venezuela e Colômbia.De acordo com o coordenador da operação, as investigações começaram em 2005 quando a polícia inglesa comunicou à PF sobre a prisão de um inglês preso na Bélgica com cocaína que teria vindo do Amazonas. "O preso faria parte de uma organização que tinha o Amazonas como base do tráfico para a Europa e outros continentes", disse o delegado. O preso, que vivia no Brasil com o nome falso de Valdomiro da Silva, preparava a droga para enviar ao exterior.Dos 31 presos, três eram colombianos, os supostos "cabeças" da quadrilha. A função do "inglês" Valdomiro da Silva, segundo o delegado, foi substituída pelo colombiano Isaac Aldanaucre, que vivia em Manaus com passaporte e outros documentos falsos no nome de Duberney Nascimento. Também foram presos os colombianos Hector Beltran e Ezequiel Silva Olviedo. Foram realizados 16 mandados de busca e apreensão e, com os colombianos, foram encontrados R$ 67,5 mil.Seqüestro de bensAlém das prisões e apreensões, os policiais realizaram o seqüestro de bens que foram adquiridos com dinheiro do tráfico de drogas, como panificadoras, frigoríficos, hotéis e uma lan-house. Também foi solicitado à Justiça o bloqueio das contas bancárias utilizadas pela quadrilha. As investigações apontaram que o transporte da droga era feito de carro, pela BR-174 (Manaus-Boa Vista). Outra porta de entrada da droga no país era através da cidade de Santo Antônio do Içá, na fronteira do Brasil com a Colômbia, a 890 quilômetros de Manaus. De lá, a droga era transportada em balsas até Manaus. Da capital, a quadrilha providenciava o transporte da cocaína para a região Sudeste. A cocaína era escondida na lataria de veículos que eram carregados de balsa até Belém ou Porto Velho. Destas cidades, os carros eram levados até a cidade de Contagem, em Minas Gerais, onde o grupo utilizava uma revenda de veículos como fachada. Os receptadores da droga faziam a distribuição para traficantes locais, de estados vizinhos e do exterior. ´Laranjas´Segundo o delegado, o pagamento dos carregamentos de drogas era realizado através de depósitos e transferências para contas bancárias de "laranjas". A quadrilha também utilizava carros negociados nesta revenda de Contagem como pagamento para a aquisição da cocaína. A assessoria da PF informou que ao longo da investigação, os policiais federais prenderam outras 37 pessoas e apreenderam mais de 300 quilos de cocaína da mesma quadrilha. Uma das principais apreensões aconteceu em janeiro do ano passado, quando dois espanhóis foram presos no aeroporto de Manaus com 18 quilos do entorpecente. Já em março, em Coari (AM), seis colombianos foram flagrados com um carregamento de 125 quilos da droga que seriam entregues para o grupo. Em Minas Gerais, a PF realizou nos últimos meses duas grandes apreensões nas cidades de Contagem e Três Marias, que totalizaram 54 quilos de cocaína.

Agencia Estado,

13 de março de 2007 | 19h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.