PF prende 34 em operação contra fraudes em transportes

Empresários, policiais rodoviários federais e fiscais estão envolvidos em esquema de favorecimento a empresas

Solange Spigliatti, estadao.com.br

13 de novembro de 2007 | 11h09

A Polícia Federal prendeu 34 pessoas, na manhã desta terça-feira, 13, em quatro Estados do País, durante a Operação Veredas. Entre os presos estão agentes da Polícia Rodoviária Federal, empresários, dirigentes do setor de transporte e fiscais acusados de colocar pacotes com drogas em ônibus de empresas concorrentes, com o objetivo de prejudicá-las.   Cerca de 400 policiais federais cumprem em São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, 35 mandados de prisão temporária e 45 ordens de busca e apreensão expedidos pela Justiça Federal de Ourinhos. Segundo a PF, a quadrilha é acusada de praticar corrupção, tráfico de drogas e influência para prejudicava empresas rivais e desafetos.   A investigação da PF começou com uma denúncia de prática de peculato contra os policiais rodoviários federais da Base de Ourinhos, no interior de são Paulo. Durante a apuração, a PF encontrou indícios de crimes mais graves e a relação direta com grandes empresas de transporte da região. Os presos são acusados de cometer os crimes de corrupção passiva e ativa, peculato, prevaricação, extorsão, tráfico de drogas e armas e formação de quadrilha.   O bando colocava as drogas e armas em ônibus das empresas concorrentes para propiciar a apreensão do veículo e denegrir a imagem da empresa no setor privado. Segundo a PF, as organizações investigadas são autônomas nos diversos Estados, mas possuem traços semelhantes em sua estrutura.   Após atrair o agente público, era fornecido, de forma reiterada e habitual, passagens de transporte para os envolvidos, além de outras vantagens econômicas (festas, churrasco e doações de campanha política na região). Os prejuízos das empresas concorrentes se davam com a aplicação de multas, autuações e apreensões realizadas pelos fiscais e policiais rodoviários federais nos ônibus de transporte de passageiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.