PF prende empresário acusado de fraude milionária na Saúde

O empresário Marcelo Pupkin Pitta foi detido nesta sexta-feira sob a suspeita de ter fraudado os cofres do Ministério da Saúde em R$ 120 milhões, entre 1997 e 2004. A Polícia Federal apurou na operação, intitulada Vampiro, que Pitta corrompia servidores da pasta da Saúde para laboratórios estrangeiros obterem vantagens nas disputas por licitações públicas. Com dois mandados de busca e apreensão expedidos pela 2º Vara Criminal Federal paulista, agentes da PF aprenderam hoje documentos indicativos de que Pita depositava parte do dinheiro proveniente das fraudes em contas bancárias da empresa Rio Doce Empreendimentos e Participações, abertas em agência do Banco UBS S.A., localizada no bairro do Itaim Bibi. Segundo a PF, a Rio Doce, registrada em nome da mãe e do irmão de Pitta, era usada para operações de internação de parte dos valores obtidos por meio ilícito que estavam no exterior. Também foi constatado que o preso enviava uma parcela do dinheiro das fraudes para empresas criadas por ele nos Estados Unidos, no Panamá e na Suíça. A Justiça Federal, por meio da Vara Especializada em Crimes Financeiros e Lavagem de Capitais, determinou o bloqueio dos R$ 8,6 milhões aplicados em conta investimento da Rio Doce no Banco UBS. Em 2004, Pitta havia sido denunciado à Justiça duas vezes por fraude em licitações do Ministério da Saúde para a compra de medicamentos e hemoderivados.

Agencia Estado,

09 Fevereiro 2007 | 20h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.