PF prende pessoas acusadas de desviar dinheiro de contas inativas

A operação Sansão da Polícia Federal prendeu nesta terça-feira, 19, em São Luís, três integrantes de uma quadrilha interestadual que agia, há mais de dois anos, em cinco estados. Eles faziam saques ilegais de contas bancárias inativas, de idosos e até de pessoas já falecidas. Em São Luís a Operação Sansão teve início às 6 horas desta terça-feira, 19, e resultou na prisão do empresário Francisco Dantas Araújo; do corretor de imóveis Antônio Barbosa Paes Landim e o oficial de justiça Moacir Monroe Ferreira. Eles são acusados de sacar mais de R$ 1 milhão, de três constas bancárias, em agências da Caixa Econômica Federal (CEF) e do extinto Banco do Estado do Maranhão (BEM). De acordo com o delegado Sandro Augusto Santos, da Superintendência Regional Maranhão, o esquema funcionava nos cinco estados com a emissão de alvarás judiciais verdadeiros, elaborados a partir de documentos falsificados. Advogados, empresários, oficiais de justiça e um juiz pernambucano participaram do golpe. "As contas quentes, como eles dizem, eram identificadas e através de documentos falsificados emitiam os alvarás judiciais autênticos. As contas eram de idosos, aposentados, contas paradas, com muito dinheiro e de pessoas que já morreram", disse.Dantas era responsável pelo rastreamento destas contas e passava as informações para os demais integrantes da quadrilha interestadual. "Eles serão indiciados por formação de quadrilha, estelionato e alguns podem ser enquadrados em crime de corrupção ativa e passiva. As investigações fornecerão mais material probatório, para confronto com outras provas e identificação de mais gente envolvida. Dos 12 mandados de prisão, nove foram cumpridos", informou Santos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.