PF prende piloto acusado de tráfico de drogas no MS

A Polícia Federal (PF) prendeu nesta terça-feira, 21, o piloto Marcelo Coelho de Souza, 32 anos, acusado de ser membro de uma quadrilha especializada no tráfico de cocaína em grandes quantidades, entre o Mato Grosso do Sul e interior de São Paulo. Segundo o delegado federal Carlos Knoll, que preside o inquérito, os US$ 709 mil e R$ 10 mil, que estavam no Cessna 210, prefixo PT-JUF, que caiu dia 14 de novembro em São Gabriel, a 140 quilômetros de Campo Grande, região norte do Estado, foram obtidos com a venda de cocaína.Durante as investigações, a polícia apurou que o avião era pilotado por Souza no dia da queda. Ele estava chegando de São Paulo, onde deixou 200 quilos de cocaína na localidade de Rio das Pedras. A droga foi descarregada em um canavial e depois recolhida por dois homens em uma caminhonete modelo Montana, que conseguiram fugir. O vôo estava sendo monitorado pela PF. O piloto foi avisado pelo celular sobre a movimentação quando realizava vôos rasantes na região de Rio das Pedras e arremessou o aparelho para pousar em Penápolis, em São Paulo, onde pretendia abastecer. Ele foi perseguido pela Polícia Militar e fugiu para o Mato Grosso do Sul, chegando sem combustível no avião que acabou caindo. Ao ser socorrido por moradores da Fazenda Bonito, entregou para um deles, uma lata de graxa contendo os dólares, dizendo que voltaria para buscá-la. Os 10 mil reais foram encontrados nos restos do avião. Em depoimento na PF no dia 17 de novembro, Souza contou que foi contratado para transportar hormônio bovino para São Paulo. Disse que quando estava voando, soube da existência do dinheiro na aeronave e resolveu "abortar" a entrega. De volta ao MS, a aeronave deveria descer na Fazenda Santo Hilário, situada no município de Coxim, vizinho de São Gabriel do Oeste, no pantanal norte do Estado.Na madrugada desta terça, agentes federais apreenderam 20 quilos de cocaína pura, que estavam enterrados próximos à sede da propriedade rural. A apreensão confirmou a suspeita de que o local serve para saída de vôos com destino ao interior paulista, transportando cocaína.No sábado, policiais apreenderam duas aeronaves pertencentes à quadrilha: uma (prefixo PT-KCL) na fazenda Santo Hilário, e outra (prefixo PT-JDF) no aeroclube de Aquidauana/MS. O verdadeiro proprietário das aeronaves e chefe da organização já foi identificado pela PF. Informações colhidas pelos federais, dão conta de que ele fugiu, possivelmente para o Paraguai. As três aeronaves estão registradas em nome de terceiros, provavelmente "laranjas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.