PF prende policial e motorista por contrabando

A Polícia Federal apreendeu um conteiner com milhares de produtos falsificados, a maioria de grifes famosas, que seriam vendidos em lojas finas no eixo Rio-São Paulo. Duas pessoas foram presas, entre elas um policial civil. Por meio de uma denúncia anônima, no final da tarde de ontem, sobre contrabando de armas, agentes da Polícia federal foram até a Rua do Bucolismo, na altura do nº 200, no Brás, região central de São Paulo. No local havia uma carreta com um conteiner de 40 pés de comprimento, um dos maiores existentes.Ao abordar o motorista Lourenço Carlos Caetano Melhado, de 39 anos, os policiais exigiram a nota fiscal dos produtos e verificaram que o discriminado na nota não batia com o conteúdo das caixas. No interior delas havia muita mercadoria falsificada de primeira linha, como sapatos, bolsas da Luis Vuiton e Fendi, e cerca de 40 mil relógios de diversas marcas que supostamente seriam vendidas em botiques no eixo Rio-SP.De acordo com o delegado Gilberto Tadeu, da PF, no momento da abordagem ao motorista, estava no local, em uma Van, o policial civil João Saladino Júnior, 49. Ele estava ao volante da perua e disse que havia parado no local porque pensava que o caminhoneiro estava estava sendo assaltado. A história não convenceu e, tanto o motorista Lourenço Melhado, como o policial, foram presos em flagrante e indiciados por contrabando. O policial também foi indiciado por facilitação, podendo pegar até oito anos de prisão. A polícia acredita que a mercadoria teria entrado pelo Porto de Santos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.