PF prende quadrilha de assaltantes de banco

Uma operação conjunta de policiais federais de Pernambuco, Alagoas e Rio Grande do Norte prendeu, na madrugada de hoje, a maior quadrilha de assaltantes de bancos e carros fortes do Nordeste. Oito pessoas foram presas e um dos ladrões morreu em confronto com a PF, que apreendeu também uma grande quantidade de armas de grosso calibre, inclusive fuzis AK-47 - usados pelo crime organizado no Rio - e vários carros. Policiais calculam que o grupo era responsável pela maior parte dos assaltos registrados na região, nos últimos meses.A quadrilha era conhecida como "irmãos carneiro", que também se intitulava seguidores de Lampião, o rei do cangaço. O nome é uma alusão aos chefes do bando, Francimar Fernandes Carneiro e seu irmão, Olismar, que foram presos após troca de tiro com a polícia. Com eles, os agentes federais apreenderam quatro fuzis, dois revólveres, duas pistolas, coletes à prova de bala, máscaras e quatro carros. Além dos irmãos, foram presos Francisco Soares Padilha Neto, Domingos Sávio Mota Cabral, Isaias Batista Gonçalves, Manoel Sinfrônio da Silva, Francisco Clésio do Nascimento Macedo e Wilson Gomes Bento. O assaltante Emerson Fante Carmona, de 30 anos, considerado o terceiro homem na cúpula da quadrilha, foi morto depois de enfrentar os policiais federais em São Joaquim do Monte (PE). Ele tinha diversos mandados de prisão por latrocínio e roubo qualificado.A operação Tocha, que culminou com a prisão dos assaltantes de banco foi deflagrada há uma semana, pouco depois da morte do delegado da Polícia Civil do Rio Grande do Norte, Robson Luis de Medeiros Lira, que tentou impedir o assalto a agências da Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Correios em Macau (RN). O grupo pretendia fazer um novo ataque a carros forte na fronteira de Pernambuco com Alagoas.Segundo o serviço de inteligência da PF no Nordeste, além dos oito presos e o assaltante morto, a quadrilha era composta também por policiais militares do Rio Grande do Norte e por um agente civil de Pernambuco, que deverão ser presos ainda esta semana. O grupo também era responsável pela liberdade de vários detentos de presídios da região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.