Divulgação
Divulgação

PF prende quatro e apreende R$ 250 mil em Foz do Iguaçu

Em cumprimento a mandados de busca e apreensão, foram recolhidos 12 automóveis, quatro caminhões e uma lancha

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2016 | 12h15

SOROCABA - A Polícia Federal (PF) prendeu quatro suspeitos de tráfico internacional de drogas nesta terça-feira, 28, durante a Operação Aletria de combate ao narcotráfico na região de fronteira entre o Brasil e o Paraguai, em Foz do Iguaçu (PR). Na casa do principal suspeito, foram apreendidos R$ 250 mil escondidos na base falsa de uma mesa. Em cumprimento a mandados de busca e apreensão, foram recolhidos 12 automóveis, quatro caminhões e uma lancha. As ações foram realizadas em Foz do Iguaçu, Santa Terezinha do Itaipu, Itaipulândia, Missal e São Miguel do Iguaçu.

Três pessoas, entre elas um cadeirante, passaram a ser monitoradas com tornozeleiras eletrônicas. De acordo com a PF, durante a fase sigilosa da operação, nove pessoas já tinham sido presas em flagrante nos Estados do Paraná, São Paulo e Pernambuco. Foram apreendidos sete veículos, duas embarcações, um caminhão, uma carreta, 31 toneladas de alpiste contrabandeado, cinco armas de fogo, munições, 4,5 toneladas de maconha, 9 quilos de crack e uma prensa de cocaína.

A investigação apontou a existência de um esquema de tráfico transnacional com pelo menos doze pessoas, entre elas um grupo que atuava na ocultação e administração de bens provenientes do tráfico. O dinheiro das drogas foi investido em imóveis, empresas, automóveis, caminhões e barcos. A Justiça ordenou o sequestro de três residências, cinco lotes, uma chácara, um motel, uma pedreira, sete caminhões, duas máquinas, dois barcos e seis automóveis, patrimônio avaliado em pelo menos R$ 20 milhões.

Segundo a PF, o chefe da organização, um dos presos da operação, atuava havia mais de dez anos no tráfico na região. Ele é conhecido pelo apelido de “cabelo de anjo”, nome popular do doce aletria, que denominou a operação. A mulher dele também foi presa. O dinheiro apreendido estava na mansão do casal. Os suspeitos vão responder, entre outros crimes, por tráfico internacional de drogas, associação para o tráfico e posse ilegal de armas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.