PF prende trio com 110 quilos de skank

Após uma denúncia anônima, a Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes da Polícia Federal de São Paulo prendeu, na tarde de ontem, o mineiro Anicio Barboza Martins, 30, que ocupava um gol prata, de placas LPB 0062, de Volta Redonda (RJ), onde reside e já cumpriu pena de quatro anos por roubo. Anicio, segundo a denúncia, receberia uma carga de drogas proveniente do Paraguai em um posto de combustível no km 210 da Rodovia Presidente Dutra. A substância teria como destino o Estado do Rio de Janeiro. Depois de identificar o traficante e seu veículo, os policiais iniciaram uma vigilância que culminou na prisão em flagrante do suspeito. Foram presos também os paraguaios Martimiano Ruiz Dias, 35, e Freddy Portillo Nunes, de 28 anos, que estavam num Land Cruiser, placas ASN 215, do Paraguai. No veículo havia um segundo tanque de combustível e nele aproximadamente 110 kg de skank. Todos os acusados estão na custódia da Polícia Federal onde aguardarão julgamento e poderão pegar uma pena de três a 15 anos de prisão.SkankEsse entorpecente é uma variação genética, produzida em laboratório, da planta da maconha, que cresce mais rapidamente e pode, portanto, ser cultivada em estufas (mais escondida da fiscalização). Sua principal característica é o fato de conter uma quantidade até sete vezes maior de THC (a substância ativa) do que a maconha comum.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.