PF transfere Virgílio Medina às pressas do Rio para Brasília

A Polícia Federal foi obrigada a montar, às pressas, uma operação para transportar sob custódia a Brasília o advogado Virgílio Medina, irmão do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Paulo Medina, na noite de sexta-feira, 26. Ambos são acusados pelo Ministério Público de participação no suposto esquema de venda de sentenças em favor de bingueiros e bicheiros identificado na Operação Hurricane (furacão, em inglês). Por determinação do ministro Cézar Peluso, do Supremo Tribunal Federal (STF), Virgílio, que está preso no Rio, receberá em mãos uma intimação relacionada à denúncia apresentada pelo Ministério Público contra Paulo Medina. Ele deveria retornar ao Rio ainda na quinta. Fontes que acompanham as investigações informam que a intimação seria destinada a notificar Virgílio que ele também seria acusado da prática de formação de quadrilha junto com seu irmão na denúncia que corre no Supremo. O Ministério Público, no entanto, não confirma o teor da intimação. O advogado de Virgílio, Renato Tonini, também afirma desconhecer os motivos.

Agencia Estado,

27 Abril 2007 | 08h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.