Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Picada de escorpião mata menina de oito meses em Alagoas

Família da bebê ainda tentou procurar socorro, mas a criança morreu logo que chegou ao hospital

25 de janeiro de 2008 | 14h29

A menina Jenifer Liziane Santos Dias, de oito meses, morreu na madrugada desta sexta-feira, 25, vítima de uma picada de escorpião, logo após procurar socorro na Unidade de Emergência em Maceió. Jenifer foi picada em casa, no município de Campo Alegre, a 160 km de Maceió. O infectologista do Hospital Hélvio Auto, Marcelo Constant, explica que registra mais de 1.200 casos por ano de picadas de escorpião. Desse total, cerca de 98% das pessoas picadas pelo animal não correm risco de morte.   "O adulto não corre risco de morte ao ser picado, mas é recomendável procurar um hospital porque a pessoa sente uma dor forte durante horas. Já a criança precisa de um soro próprio e quanto menor a idade, mais perigosa é a picada do escorpião", alertou. Em Alagoas, o Hospital Hélvio Auto é referência na a aplicação do soro em crianças. A recomendação é procurar o hospital em até duas horas, para que as chances sejam maiores. No caso de adultos, qualquer hospital pode tratar a picada.   O escorpião se prolifera em locais onde há baratas e entulho, como restos de materiais de construção. Em caso de picada, lave o local com água e sabão, não passe nada sobre o local, nem amarre, fure, corte ou sugue o ferimento. Depois, procure um posto de saúde ou um hospital.

Tudo o que sabemos sobre:
Escorpião

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.