Piloto da TAM diz ter feito manobra brusca para evitar colisão

Passageiros tomaram susto com a manobra; alguns passaram mal após saber de aeronave em rota de colisão

Fabiana Marchezi, estadao.com.br

05 de novembro de 2007 | 16h59

O piloto de um Airbus da TAM que fazia o vôo 3813, seguindo de Palmas, no Tocantins, para Brasília, no Distrito Federal, teve de fazer uma manobra brusca na manhã desta segunda-feira, 5, para desviar de uma outra aeronave em rota de colisão.   Os 100 passageiros da aeronave tomaram um susto e, em seguida, foram informados pelo comandante que a manobra teve de ser feita para evitar um choque com uma aeronave não identificada. Os passageiros ficaram tensos e alguns se sentiram mal. O incidente aconteceu cerca de 30 minutos após a decolagem, às 5h16.   Segundo a assessoria da TAM, o procedimento teria sido realizado depois de um alerta emitido pelo sistema da aeronave usado para evitar colisões. Além do incidente, o avião arremeteu na primeira tentativa de pouso sem motivo confirmado. Contudo, a aeronave pousou normalmente na segunda tentativa, às 7h14, no Aeroporto de Brasília.   Já a assessoria do Centro de Comunicação da Aeronáutica (CECONSAER) informou que analisou as informações do piloto e que o radar do Centro de Controle de Brasília (Cindacta 1) não detectou nenhuma aeronave se aproximando do avião da TAM. Os dados do equipamento indicaram que o avião mais próximo passou a cerca de 37 quilômetros de distância. A assessoria ressaltou ainda que não foi detectado nenhum risco para o tráfego aéreo.   Matéria ampliada às 18h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.