Piloto da TAM teria visto chamas no mar

FAB investiga se informação sobre destroços é verdadeira, diz Alencar

Felipe Werneck e Alberto Komatsu, O Estadao de S.Paulo

02 de junho de 2009 | 00h00

O presidente em exercício, José Alencar, afirmou no início da noite de ontem no Aeroporto do Galeão, no Rio, que a Força Aérea Brasileira (FAB) procurava detalhes sobre supostos destroços que teriam sido vistos em chamas próximo ao local do desaparecimento do Airbus da Air France. Alencar disse que as informações seriam de um piloto da TAM. A empresa conta que ele estava num avião vindo da Europa para o Brasil, e que teria visto os focos pela manhã.A Aeronáutica confirma a informação, mas diz que não encontrou pistas do que foi reportado pelo piloto. Nas tentativas de busca durante o dia, nada foi notado. O presidente em exercício chegou ao aeroporto no fim da tarde. "Estou aqui a pedido do presidente Lula, que está fora do Brasil, senão ele estaria aqui", afirmou. "Ele me telefonou e pediu que viesse, para trazer um abraço de solidariedade do governo e dar informações e providências tomadas pela FAB e pela Marinha." Segundo ele, Lula lhe dissera que, se ele, por estar saindo de um "tratamento pesado" (Alencar luta contra um câncer), não pudesse ir ao Rio, suspenderia a viagem pela América Central e Caribe e voltaria ao Brasil. Alencar deu entrevista após conversar com parentes das vítimas, no aeroporto.O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), também foi ao aeroporto para prestar solidariedade às famílias. "Serão semanas de procura enquanto for necessário para que se chegue ao fim conclusivo", disse o governador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.