Piloto de Marília é um dos mortos encontrados no Paraguai

Exames da arcada dentária, confirmaram que é do piloto Waldir Guarezzi, um dos corpos encontrados carbonizados junto ao seu avião, numa pista clandestina numa fazenda do Paraguai, distante 150 quilômetros da fronteira brasileira. O aparelho foi localizado depois que o dono da fazenda, Eugênio Campuzano, internou-se em Campo Grande com queimaduras. Ele teria tentado salvar os passageiros e a carga do avião que explodiu ao tentar pousar em sua propriedade. Guarezzi, de 66 anos de idade e 48 de profissão, partiu de Marília na manhã do último dia 18, para embarcar dois passageiros no aeroporto de Tupã, com o objetivo de transporta-los a Goierê (PR), e desapareceu.O delegado João Osisnki, seccional de Tupã, que dirige as investigações, acredita que o piloto tenha sido seqüestrado edesviado para o Paraguai por traficantes que usariam seu avião para o transporte de drogas. Sabe-se que os contratantes de viagem ligaram para Guarezzi de um telefone celular e que a ligação partiu de São José do Rio Preto.

Agencia Estado,

03 de junho de 2004 | 17h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.