Pilotos do Legacy deverão permanecer no Rio até serem ouvidos pela PF

Os pilotos norte-americanos do jato Legacy, Joseph Lepore e Jan Paul Paladino, ainda devem permanecer no Rio de Janeiro, onde estão desde a semana passada, até que seus depoimentos à Polícia Federal no Mato Grosso sejam agendados. O advogado deles, José Carlos Dias, disse que a partida dos clientes ainda não foi marcada e que não há previsão para isso.Dias - que atendeu a reportagem do Estado na manhã desta segunda-feira, pelo telefone, mas não quis dar entrevista -, afirmou que ainda irá acertar com o delegado Renato Sayão, responsável pelo inquérito federal, o encontro dele com os pilotos. Eles já depuseram à Polícia Civil do Mato Grosso, depois do acidente com o Boeing da Gol.Lepore e Paladino continuam reclusos em sua estada no Rio de Janeiro. Na semana passada, eles se hospedaram no luxuoso hotel JW Marriot, de frente para a praia de Copacabana, onde também ficou, por alguns dias, o advogado Theodomiro Dias Neto, filho de José Carlos Dias.No sábado, quando a informação vazou e jornalistas passaram a ficar de plantão na porta do hotel, a empresa ExcelAire, para a qual os pilotos trabalham, tratou de negar que eles estivessem hospedados lá. O Marriot, por sua vez, não confirma nem nega que os tenha como hóspedes. No entanto, funcionários contaram que Lepore e Paladino estão no hotel, sim; mas se mantêm tão discretos que não são vistos por ninguém (até as refeições são feitas dentro do quarto).José Carlos Dias não confirmou se as mulheres dos pilodos, Ellen e Melissa, estão, de fato, no Rio. Elas teriam vindo de Nova York no sábado. Sem ver suas famílias há cerca de duas semanas, e assustados com o rumo das investigações da queda do Boeing, que os apontam como culpados, os pilotos - cujos passaportes foram apreendidos pela PF - têm se mostrado bastante abalados e ansiosos para voltar para os Estados Unidos. Colaborou Karine Rodrigues

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.