Pilotos do Legacy dizem que rádio do jato ´funcionava bem´

Os pilotos americanos Joe Lepore e Jan Paladino, do Legacy - jato que se chocou com o Boeing da Gol em 29 de setembro e causou a maior tragédia da aviação brasileira -, disseram em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo deste domingo que o rádio do jato "funcionava bem, perfeitamente bem". Mas os controladores do Cindacta-1 - centro de controle de Brasília - afirmaram que tentaram contato diversas vezes com os pilotos e não conseguiram. Lepore e Paladino também disseram ao diário que não é possível garantir que o transponder estava inoperante, como fazem as autoridades brasileiras. Investigações da Polícia Federal revelaram que os dois tiveram parcela de responsabilidade no acidente por não terem seguido o plano de vôo nem adotado normas de emergência para evitar o choque. Ainda segundo a PF, o transponder do jato, equipamento vital na navegação aérea, estava desligado na hora do acidente, passando a funcionar no instante seguinte. Os pilotos relataram ainda à Folha que os controladores não demonstravam "nenhuma urgência" quando conseguiram contato com o Legacy, que voava na altitude de 37 mil pés sob a orientação da torre de controle de São José dos Campos. O choque entre o Boeing da Gol e o jato Legacy ocasionou a morte de 154 pessoas em Mato Grosso e, apesar da sucessão de falhas apontadas pelo inquérito que apura o caso, as causas ainda estão sendo investigadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.