Piranhas voltam a atacar em lago no interior paulista

Os cerca de três mil habitantes da cidade de Santa Cruz da Conceição têm tido problemas para freqüentar a principal atração da cidade, a Prainha, um lago artificial que ocupa aproximadamente 11 alqueires no centro da cidade. Ataques de piranhas tornam perigosa a diversão, que atrai em média 500 pessoas nos domingos de calor. No último sábado, feriado, os peixes atacaram quatro pessoas, inclusive uma criança.As vítimas tiveram ferimentos sem gravidade e foram medicadas no local. Apesar do incidente, no domingo a Prainha estava novamente cheia de moradores que buscaram refresco para fugir da temperatura acima dos 30 graus. A atração é administrada pela prefeitura da cidade. Segundo a Polícia Militar, os ataques têm sido freqüentes desde o início do período de calor. A PM informou que muitas pessoas têm feridmentos leves e não chegam a notificar o ataque. Ainda conforme a PM, as piranhas estão espalhadas por todo o lago, e há placas alertando os banhistas sobre o perigo. A prefeitura chegou a lançar um concurso de pesca, durante a semana passada, para premiar quem retirasse mais piranhas do lago. Apenas um pescador conseguir pescar uma piranha, e o prêmio foi cancelado. De acordo com a PM, os restos de comida deixados pelos banhistas nas margens da Prainha podem estimular os ataques dos peixes. Ninguém da prefeitura foi encontrado hoje para falar a respeito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.