Pires antecipa retorno ao Brasil para acompanhar crise aérea

Ministro da Defesa voltaria na noite desta quinta ao País, mas já está em Brasília

Agencia Estado

21 de junho de 2007 | 13h04

O ministro da Defesa, Waldir Pires, antecipou o seu retorno ao Brasil para acompanhar de perto a nova crise nos aeroportos brasileiros, iniciada na última terça-feira, 19, por conta de, segundo fontes, mais uma operação-padrão dos controladores de vôo. Pires deveria voltar de uma viagem a Paris na noite desta quinta-feira, 21, mas ele já estavam em Brasília pela manhã despachando em seu gabinete.Na quarta, o ministro admitiu, em Paris, que a crise que vem ocorrendo nos aeroportos brasileiros não será resolvida antes de um ano. Ele não quis precisar tempo, mas afirmou que "a solução virá quando forem restauradas as condições de termos controladores suficientemente treinados". Depois de fazer um balanço do Salão de Aeronáutica de Le Bourget, em Paris, e da assinatura de acordo de cooperação com o Ministério da Defesa francês, o ministro disse que a eficiência do controle no tráfego aéreo depende de um pouco de tempo. Pires ressaltou que está para ser anunciada uma gratificação para os controladores e reconhece que é preciso aumentar de 30% a 40% o pessoal efetivo. Ele pediu também que todas as áreas envolvidas no setor ‘estejam voltadas para ultrapassarmos esta fase". Para o ministro é "absolutamente incompatível" dizer que houve dolo no acidente da Gol, em setembro do ano passado, quando morreram 154 pessoas. Isto porque, explicou, dolo requer participação de vontade. "Pode ter havido negligência, imperícia, mas não dolo."Ele admite um problema de gestão, mas não de equipamento. Ao falar sobre a questão de defesa, o ministro disse que existe uma situação de fragilidade no País em todas as áreas (Exército, Marinha e Aeronáutica) por causa da falta de equipamentos para atender às Forças Armadas. Com a França, foi assinado um acordo de transferência de tecnologia e formação conjunta de militares, visando sobretudo a região amazônica.

Tudo o que sabemos sobre:
crise aéreaAeronáutica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.