Pires confirma overbooking e punição para as empresas

O ministro da Defesa, Waldir Pires, afirmou na noite desta quarta-feira, 27, que, na crise aérea, "houve faltas graves das empresas, com fretamento e overbooking" e anunciou que as companhias serão multadas. Pires disse ainda que para evitar novos transtornos no período das festas de ano-novo, foi proibido o fretamento de novos aviões. "Não será possível tolerar overbooking de empresa nenhuma", declarou, após participar de reunião no Ministério da Defesa. Na terça-feira, 26, a Agência Nacional da Aviação Civil (Anac) iniciou uma auditoria na TAM - apontada como a responsável pelo apagão no Natal - e na Gol para investigar se houve prática de overbooking, que é a venda de passagens em número superior à lotação dos aviões, na semana passada. O ministro admitiu que serão aplicadas "multas financeiras", mas não respondeu sobre a possibilidade de cassação de concessões de empresas aéreas. Questionado sobre o que acontecerá com os fretamentos já contratados por empresas de turismo e com as passagens que as pessoas já compraram, o ministro disse que espera o relatório da auditoria da Anac, que será concluído na noite desta quinta-feira, 27. Pires deu rápida entrevista ao final da reunião, que teve participação de representantes do Ministério do Turismo e da Casa Civil, do comando da Aeronáutica, da Infraero e da Agencia Nacional de Aviação Civil (Anac),em que foi discutido um plano de emergência destinado a evitar caos nos aeroportos no período das festas de ano-novo. Ele justificou a ausência de representantes das companhias aéreas no encontro desta quarta, afirmando que era uma "reunião de governo", e completou: "É importante que tenhamos êxito no 1º de janeiro, para que possamos dizer à população que o Natal foi um pouco difícil, mas que os problemas estão sendo resolvidos. É absolutamente necessário que tudo corra bem neste final de ano e que não tenhamos nem a dificuldade nem a tristeza que enfrentamos." Nesta quinta-feira, 28, haverá uma reunião do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), vinculado à Aeronáutica, com representantes das empresas aéreas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.