Pires diz que é preciso "rezar" para crise aérea terminar

O ministro Augusto Nardes, do Tribunal de Contas da União (TCU), relatou na tarde desta segunda-feira, em entrevista coletiva, que ouviu do ministro da Defesa, Waldir Pires, a afirmação de que "é necessária muita fé, rezar um pouco para que dê tudo certo" na tentativa do governo de solucionar até o fim do ano a crise no setor aéreo. Nardes disse que ouviu essa resposta durante encontro com o ministro sobre as explicações do governo para a crise. Segundo o ministro do TCU, Pires lhe disse que o problema é apenas administrativo e de gestão, sem ligação com corte de verbas. "Ele (Pires) acha que a razão da crise não foram cortes orçamentários (contingenciamento de recursos), mas, amanhã, no nosso voto (no TCU), mostraremos que também esse aspecto foi importante." O plenário do TCU votará nesta terça-feira, 11, a partir das 15 horas, relatório do ministro Nardes sobre o caos nos aeroportos brasileiros. Depois, Nardes levará uma cópia do relatório do TCU ao presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL). Em relação à afirmação do ministro da Defesa de que "é necessária muita fé", Nardes disse que ficou "preocupado, pois essas coisas não podem ser feitas em cima da perna, de improviso, tem de ser feita com planificação." O ministro do TCU relatou que Pires lhe disse, também, que a até o fim do ano serão recontratados alguns controladores aposentados que estão sendo reciclados, e, com isso, o número total de profissionais em atividade, chegaria a 182 no Centro Integrado de Tráfego Aéreo e Controle de Tráfego Aéreo-1 (Cindacta-1). Atualmente, trabalham 175 controladores no Cindacta-1.Narde contou ainda ter perguntado ao ministro da Defesa se viajará ou não no final do ano e que Pires respondeu que está preocupado com o problema e, por isso, ficará em Brasília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.