Piscinas de graça para os paulistanos

Você sabia que em São Paulo existem 26 clubes públicos com piscina, quadras esportivas, campos de futebol e atividades teatrais? E que para usar tudo isso não é preciso colocar a mão no bolso? Estes bolsões de prazer estão espalhados pela cidade e contam com atividades de terça à domingo, das 9h às 18h. Para freqüentá-los basta levar duas fotos 3x4, documento de identidade e um comprovante de residência. Você vira sócio e recebe até uma carteirinha. "Isso aqui é uma delícia", resume a costureira Alzira Almeida, de 51 anos, que na manhã de ontem estava esparramada no gramado anexo à piscina do Clube da Cidade Tatuapé, na zona leste da capital. "Na semana que vem, começo a fazer as aulas de hidroginástica." Seu filho, de férias escolares, também se diverte por lá. Duas vezes por semana, vai ao clube participar das aulas de futebol. A segunda edição do projeto, batizado de ´Viva São Paulo no Verão´, começou na terça-feira e segue até o dia 23 de fevereiro. Os 26 clubes receberam brinquedos, aparelhagem de som e materiais esportivos, como pranchas de natação e tabelas de basquete para piscina. Em oito locais, foram instalados toboáguas para crianças. Para coordenar as atividades, a Prefeitura contratou 110 monitores. Dois grupos teatrais estão desenvolvendo recreações educativas. Ao todo, o projeto custou cerca de R$ 300 mil aos cofres da Secretaria Municipal de Esportes (Seme). Segundo Célio Turino, diretor de Promoções, Esportes e de Lazer da Seme, o projeto deve atrair mais de 10 mil pessoas por dia nos 26 clubes participantes. Às 11h desta quarta-feira, sentado na beira da piscina, Wedres de Jesus Cardoso apenas esperava o horário de seu treino de boxe. "Venho aqui de manhã e fico descansando", contou o esportista de 22 anos. "Sempre pode rolar uma paquera." Pertinho dele, estava sentada a estudante Ericka San Martin, de 12 anos. De férias, ela freqüenta o clube todas as manhãs com duas amigas. As três moram bem em frente ao clube. "É como ter piscina no prédio", comparou Ericka. Nem todos os usuários do clube do Tatuapé, no entanto, moram ao lado. Alguns vêm de longe. "A proximidade da estação Carrão do metrô facilita", afirmou Rosana Giacomazzi, técnica de educação física do programa. "Meus amigos de Guainazes vêm sempre", contou Elaine Algal, que está aproveitando o período de desemprego para "pegar uma cor".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.