Piso cede e 97 ficam feridos em baile funk

Dois seguem em estado grave; prédio não tinha alvará para festas

Elder Ogliari, PORTO ALEGRE, O Estadao de S.Paulo

22 de junho de 2009 | 00h00

A queda de parte do piso do salão de bailes do Ginásio de Esportes Protásio Alves, em Porto Alegre, deixou pelo menos 97 pessoas feridas na madrugada de ontem. Elas estavam numa festa funk no segundo andar de um prédio onde, no térreo, funciona uma agência dos Correios. Com escoriações e fraturas, os feridos foram levados a hospitais por amigos, voluntários e equipes do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu). No início da noite, 24 permaneciam internados - dois deles em estado grave.Após o desabamento, outros participantes do baile - o público era formado principalmente por jovens e adolescentes - saíram correndo do prédio e tentaram interromper o trânsito da Avenida Protásio Alves para pedir ajuda. Motoristas e amigos encaminharam alguns feridos leves para hospitais. As equipes e ambulâncias do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) socorreram os demais na calçada para depois levá-los aos hospitais.A Secretaria Municipal da Indústria e Comércio (Smic) informou que o edifício não tem alvará para atividades como festas, mas afirmou nunca ter recebido queixas formais sobre a promoção de bailes no local. Além de lojas e da agência, no térreo, e do salão de festas do segundo andar, há no terceiro andar um ginásio de esportes. Representando o promotor do baile, Cristiano dos Santos, a advogada Marilene Vencato disse que a documentação está com o contador de seu cliente, "em dia ou encaminhada". A Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov) interditou o prédio e notificou o proprietário. Ele deverá apresentar o laudo de estabilidade estrutural com anotação de responsabilidade técnica, para saber se o local poderia receber um grande número de pessoas. A Defesa Civil de Porto Alegre recebeu informações de que havia pelo menos mil pessoas no salão, enquanto os organizadores afirmam que havia 400. O Instituto Geral de Perícias vai levantar os dados que instruirão a investigação policial a partir de hoje.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.