Pistolas do Planalto sumiram antes de chegar ao Exército

O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República informou nesta segunda-feira, em nota oficial, que o desaparecimento de cinco pistolas Glock 9mm e dez carregadores para 15 tiros adquiridos em 2002 pela Presidência da República ocorreu antes de o material ser entregue ao Exército. "O Inquérito Policial Militar (IPM), já remetido à Justiça Militar, concluiu ter o material desaparecido antes de ter sido recebido", diz a nota do GSI, acrescentando que "não houve, portanto, qualquer participação do Exército Brasileiro ou da Presidência da República no aludido extravio".Na nota, o Gabinete de Segurança Institucional informa que as pistolas e os carregadores, de fabricação austríaca, foram comprados "com o objetivo de atender a necessidades específicas de seu Departamento de Segurança". "A Comissão do Exército Brasileiro em Washington (CEBW) foi encarregada de proceder à compra mediante o repasse dos recursos financeiros correspondentes e o contrato foi assinado em 05 de dezembro de 2002, com a entrega do armamento prevista para 18 de fevereiro de 2003", prossegue a nota, afirmando ainda que "o material foi entregue lacrado".Ainda de acordo com o GSI, a Comissão de Recebimento de Material e Serviços de Comissões de Compra no Exterior, nomeada pela Presidência da República para examinar o lote de armamento adquirido, constatou o desaparecimento de cinco pistolas, dez carregadores para quinze tiros e um manual de operação ao receber o equipamento. "Ato contínuo, foram feitas as comunicações de praxe ao Exército Brasileiro e ao fabricante, e o Comandante da Organização Militar do Exército Brasileiro, responsável pelo recebimento e entrega do material no Brasil, determinou, na oportunidade, a instauração do competente Inquérito Policial Militar (IPM)", acrescenta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.